quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Em desacordo com o amor




Eu penso que ninguém tem direito de ser leviano com o coração dos outros. Eu nem pensava escrever sobre estes sentimentalismos, até chegar uma pessoa que foi gravemente ferida pela leviandade de outra.

O que leva uma pessoa a prometer um amor que não existe a alguém? Um amor que não é capaz de dar, nem de entregar, nem de viver... Afinal, o amor é entrega! Amor não marca data nem dia, se vive! Amor de verdade é aquele que não trai, não faz mal, não engana!

Queridos leitores, vocês tem todo o direito de trocar de amor, de terminar com alguém porque se interessou por outra pessoa, isso acontece. O que não dá para aceitar, é que não se tenha coragem de jogar as cartas na mesa e dizer que o amor acabou! Não é justo pedir um tempo, prometendo retorno e se entregar nos braços de outra pessoa. Pensem sempre nisso! Sempre tenha a atitude que você gostaria que tivesse com você! A vida é uma roda gigante... um dia se está por cima, outro dia se está por baixo...

8 Palpites relevantes:

Cary | 4 de fevereiro de 2010 23:43

Concordo com a parte de fazermos o que gostariamos que fizessem com a gente, mas eu acredito que o amor acabe não sei.
A vida porém é mesmo uma roda gigante.

HSLO | 5 de fevereiro de 2010 00:18

Concordo com seu texto. Acho que não devemos brincar com o coração do outro.


abraços


Hugo

LIVIA | 5 de fevereiro de 2010 08:32

Também concordo que não se deve brincar com os sentimentos alheios. A falta de empatia das pessoas faz com que tenham atitudes infantis, e quando o mundo dá aquela tão esperada volta, já é tarde para se arrepender!

Muito pertinente a sua "revolta" ;)

Beijos, e obrigada pela visitinha ao Mera.

Claudio Justo | 5 de fevereiro de 2010 09:32

Heim...

Não acredito que se brinque com o sentimento alheio pura e simplesmente pelo prazer de brincar. O ser humano é um turbilhão de sentimentos contraditórios, e nesse "sem fim de caminhos" muitas vezes tomamos um que machuque alguém. Nos enganamos e enganamos os outros também. Nem sempre por intenção.

Eduardo Vidal Hernando | 5 de fevereiro de 2010 09:57

Muy buen comentario. Concuerdo con todo lo dicho. Lamentablemente muchas personas no entienden la importancia del amor.

Lina. | 5 de fevereiro de 2010 10:17

Quem saberá da ética de corações, em meio aos furacões que guarda consigo?


Ótimo texto!

Até!

Fê Colcerniani Justo | 5 de fevereiro de 2010 15:29

Claudio (amor),

Nem sempre é por intenção, claro, e se então não é por intenção, que as coisas fiquem claras, em pratos limpos! sem mentiras! É disso que eu falo! A falta de sinceridade machuca mais...

Pensar em ética do coração? Acho que não existe, mas existe a ética do ser!!

Valeu gente!

Juliana Pires | 5 de fevereiro de 2010 19:17

É verdade, não temos que ser egoístas e pensar apenas na gente, pensar apenas em curtir a pessoa no momento e depois simplesmente sumir sem lhe dar a mínima explicação!

Beijos