sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Milton Nascimento, pela estrada.


O que falar de Milton Nascimento?
Esta semana, eu estou muito voltada para o “mineiro de coração” Milton Nascimento. Ao meu ver, Milton é um dos mais importantes compositores brasileiros.
Muitas vezes me deparo com pessoas que não gostam ou não conhecem, ou conhecem pouco Milton Nascimento. Veja bem, já ter escutado “Maria Maria”, “Canção da América” e “Coração de Estudante”, não é conhecer Milton Nascimento e nem ter parâmetro para poder tecer algum tipo de gosto ou desgosto pela sua obra.
Milton Nascimento tem uma bela e riquíssima obra, realizada ao longo de muitos anos, um trabalho que ainda está sendo construído e que continua belíssimo.
Minas Gerais tem o prazer de ter sua história cantada e figurada na belíssima e eterna voz de Milton Nascimento. Já dizia Elis Regina “Se Deus cantasse, ele teria a voz de Milton Nascimento”.
O que me intriga, é que Milton é uma das pessoas mais discretas que eu já vi. Para se ter uma idéia, minha paixão pela MPB começou com Milton Nascimento, muito cedo, quando eu tinha por volta de 8 anos e o meu pai me presenteou com uma fita K7 do Milton: “O planeta Blue na estrada do Sol”. Conheço Milton e sua obra de outros carnavais e sei pouquíssimo de sua vida. Sei tão pouco que apenas esta semana eu descobri que Milton era casado e teve um filho. Seu nome? Pablo. Dizem que hoje é um advogado e mora em SP. Juro, eu não sabia. Alguém ai sabia disso? Alguém ai sabe mais alguma coisa da vida de Milton? Homem discreto e talentoso esse Milton Nascimento. Ele me fez ter orgulho de ser Mineira.

Algumas curiosidades da vida de Milton (que eu sei)

Em 1967 sua carreira teve reconhecimento internacional. Em 68 ele lançou o seu segundo disco, nos Estados Unidos.

Milton Nascimento em 1975 lança o disco “Minas” com canções como: “Fé cega, faca amolada”, “Ponta de areia” e “Paula e Bebeto”, o disco tem a participação do pianista Tenório Junior. Milton fica sabendo que seu disco assume o primeiro lugar de vendas na Austrália, à frente dos Beatles.

É Milton que fez a trilha de sonora de “Maria Maria” que marca a estréia do grupo Corpo no Brasil e no mundo.

O primeiro fã clube do Milton surgiu em Tokyo com o nome “Fã Clube da esquina”.

O disco “Txai”, concebido a partir de uma viagem de 18 dias de barco pelo Rio Juruá, ficou em primeiro lugar da lista de World Music da revista “Bilboard’.

Em 1995 uma criança chamada Mardey que fazia parte do Coral que gravava o disco “Amigo” com Milton, fez ele desistir de parar de cantar. Hoje Mardey é seu filho adotivo.

Em 2006 e 2007 ganhou o premio de melhor cantor pelo Prêmio de Marcas Confiáveis.
Fez apresentações por todo o mundo, Nova York, França, Espanha, Austrália, Japão, etc. E recebeu uma aceitação e uma adoração enorme no exterior.

4 Palpites relevantes:

felipe | 3 de outubro de 2008 21:00

Olá, tudo bem?
REtribuindo a visita que fez em meu blog e para te avisar que ganhou um fã.
Adoro música. Li alguns posts seus e curti muito.
Adoro Milton. Fez parte de vários momentos de minha vida. Adoro a fase dele com Elis. Enfim, adoro o mineiro.
Grande abraço para você.
Felipe

www.muitoadeclarar.zip.net

Madamefala | 6 de outubro de 2008 22:27

Oi...muito gentil a tua visita..linkei vc no meu blog, tb farei visitas sempre.
Adoro a música Maria do Milton..e Um girassol dacor do seu cabelo do Lô Borges.Esse último disco que ele fez com o Jobim Trio tá fantástico.
E comentários são dispensáveis sobre o clube da esquina..
Beijinhos

Mara | 7 de outubro de 2008 12:04

Milton tem a voz masculina mais perfeita da música brasileira. Eu não conheço a história de vida dele e nem imaginei que ele tinha um filho chamado "Pablo".
Mas o blog da Fê também é cultura!
Beijos

Anônimo | 15 de janeiro de 2011 17:40

necessita di verificare:)