terça-feira, 7 de outubro de 2008

Gostos e desgostos musicais


Vez ou outra conversando com meu esposo em mesas de boteco, esse novo velho assunto sempre surge: o que faz uma pessoa ter bom ou mau gosto musical?
Eu não vou discutir aqui o que é um bom gosto musical, afinal, isso pra mim está muito bem definido. O que tenho interesse em saber é como esse bom gosto se dá, como ele acontece.
Eu e Claudio temos opiniões diferentes. Aliás, concordamos que o tempo nos presenteia a idade e um gosto mais apurado pra tudo, inclusive para a música. Eu, quando criança, adolescente já escutava MPB, mas não era muito a minha onda. Curtia de verdade os pagodes do momento e axés, daqueles bem veiculados pela mídia, ou no máximo umas bandas pop rock. Sertanejo eu nunca gostei mesmo. Contudo com o passar do tempo, não suportava mais pagode e axé, e daquele gosto juvenil sobrou apenas as bandas de pop e rock como Legião, Engenheiros, The Cramberies, Nirvana, Titãs, Kid Abelha, etc.
O fato é que eu cresci numa casa onde todos tinham um bom gosto musical, então pra mim foi fácil herdar esse bom gosto. Quando passei da fase adolescente que é divertido curtir qualquer porcaria, passei a buscar meus próprios gostos e escolhas musicais dentro daquilo que soava bem aos meus ouvidos. Então, continuei minha apreciação precoce pelo Milton, passei a escutar os vinis de Chico, Elis, Gal, Gonzaguinha da minha mãe e fui conhecendo Edu, Tom Jobim, Toquinho, Vinícius, Caetano, etc. Influência do meio? Sim, claro. Escolha própria? Sim, claro. Hoje eu gosto de compositores e cantores que meus pais não gostam, eu fiz minhas próprias escolhas, baseada naquilo que me foi apresentado em casa.
Eu creio que passada a fase “eu gosto de porcarias” e chegada à fase adulta “eu preciso conhecer algo mais concreto”, a pessoa que continua gostando de “porcarias”, possui muita falta de iniciativa. Dizer que a mídia ou qualquer outra forma veicular impõe “lixo musical” e cultural ao povo, é sobrecarregar muito um lado só. Tudo bem, há algum tempo atrás encontrar coisas boas acessíveis era muito complicado, hoje em dia, não é mais. Não que esteja na mídia toda hora, mas já temos grandes evoluções. Um canal em TV aberta aonde se passa APENAS bons programas, rádios (3 ou 4) que se dedica apresentar boa música, novos talentos realmente expressíveis e todo o nosso passado musical cheio de gênios eternos. A mídia empurra lixo? Sim, mas também come porcaria quem quer e as coisas boas estão ai circulando também e nem precisa ser rico para escutar uma rádio FM e sintonizar numa boa estação. Além disso, hoje em dia temos programações culturais gratuitas, de teatro de rua, grupos de rua, de poesia, música, enfim, de tudo quanto é tipo de arte. Sem falar aqui de exposições culturais, cursos e palestras acessíveis a qualquer pessoa que queira, e olhe só, de graça. Como saber? Até no jornal popular de R$0,25 (que todo mundo compra) possui esse tipo de informação cultural. Então, podemos culpar apenas a mídia? Acredito que não.
Concluo que uma pessoa que nunca ouviu falar de Chico, Milton, Tom, ou seja não teve em casa uma boa educação musical, terá mais dificuldade em gostar daquilo que ao meu ver é bom. Mas também não é uma pedra perdida. Família influência, mas amigos também, escola também. Aonde tem boa música há chance de termos uma salvação musical.

7 Palpites relevantes:

Herika Metz * Moradora de Avalon | 7 de outubro de 2008 15:22

Paradoxismo da discussão musical!

Fê, menina inteligente... e claro complexa! Bjs

SouMusic | 8 de outubro de 2008 12:21

Moça, esse é uma assunto complexo de fato. Particularmente, considero o meu gosto musical BOM. E ainda hoje escuto muitos Axés (embora as pessoas fora da Bahioa ñ tenha real noção do q seja).

Confesso que mesmo os "Axés" e pagodes que são de fato bizarros, a depender da situação, os escuto.

Creio que parte do meu gosto musical tem grande influencia familiar... principalmente minha mãe.

Mas é isso mesmo gostando de estilos que muitas pessoas ñ consideram bons, considero SIM ter um bom gosto musical.


Ah... quanto a atualização do Juke, graças a você, não passa essa semana. Vou tentar manter a regularidade de antes. Mas, lê os textos antigos... só mais uma poquinho de paciencia... rsrsrs.... só não deixa de nos visitar.


Vlw!!!!

Carol Negretti | 14 de outubro de 2008 13:48

Assunto que dá pano pra manga, esse.
É claro que ninguém acha que tem um péssimo gosto musical, mas me considero uma pessoa de sorte por ter crescido numa casa em que sempre se ouviu boa música, e isso, com toda certeza me influenciuo. Mas muita coisa que eu gosto, é por procurar conhecer, por indicação de amigos, entre outras coisas.
Sou feliz pela oportunidade de ter acesso a internet, por ser um canal de divulgação ampla, de toda forma de cultura para todos os gostos, com pouco direcionamento das grandes mídias. Liberdade é tudo na vida!

Thaís | 14 de outubro de 2008 23:33

Fê,realmente adorei seu blog...SUPER 'stiloso'!E com um bom gosto incrível...tem mts coisas q vc escreveu q me identifiquei!A maioria dos cantores q vc gosta,eu gosto tbm!Adoro o Machado de Assis e a Clarice Lispector,tbm amo poesia!Escrevo alguns poemas e tinha o sonho de ser escritora mas meio q desisiti...enfim seu blog é lindo..os textos super bem escolhidos e as fotos ficaram ótiimas!Que vc seja sempre feliz e teenha tdo d boom!Beeeijo!...;)

Thiago Damião | 12 de novembro de 2008 22:14

Bem exposto esse assunto, afinal a culpa é de quem, da mídia que vende o ´´lixo musical´´, ou do povo sem o devido ´´conhecimento´´ que aceita isto?
Um abraço

Anônimo | 20 de novembro de 2009 11:57

ler todo o blog, muito bom

Anônimo | 22 de dezembro de 2009 06:24

hookes despises neil cottrell hoes unpleasant plentiful quit partnered trillion generations
semelokertes marchimundui