terça-feira, 3 de março de 2009

Luto


Lembro-me tanto da forma agradável que ela dava aula. Hoje consegui lembrar-me de algumas piadas que ela contava toda vez que entrava na sala. Tinha uma fisionomia tranquila, um olhar firme, um rosto sábio e era professora dedicada. Eu não era uma boa aluna, ainda mais em sua matéria que não me atraia muito (antigamente), mas ainda sim, sempre que precisei, ela me estendeu a sua mão. E como me ajudou na minha reta final na Universidade. Era admirável. Primeiro nos deixou para ser coordenadora de Letras na maior unidade da PUC em BH. E agora nos deixou de vez. Eu já me formei, portanto, não tinha contato, e a pior notícia que eu poderia receber sobre ela, eu recebi ontem. Sim, estou abalada. Maria de Lourdes Meirelles Matencio, ou simplesmente Malu, vai deixar muita saudade...

"(...) Cumpriu sua sentença e encontrou-se com o único mal irremediável, aquilo que é a marca de nosso estranho destino sobre a terra, aquele fato sem explicação que iguala tudo o que é vivo num só rebanho de condenados, por que tudo o que é vivo, morre (...)"

Auto da Compadecida, Ariano Suassuna

6 Palpites relevantes:

Madamefala | 3 de março de 2009 21:19

Os nossos mestres são inesquecíveis...(alguns pro bem outros pro mal).
Lindo texto...

Desculpa o sumiço flor, brigada por lembrar de mim!rs

beijocas doces!!!!

Natália A. | 3 de março de 2009 23:28

Nossa, que lindo.
Eu também adoro usar esse trecho do Auto da Compadecida, nada descreve tão bem a morte.

:)

Celo Aglio | 4 de março de 2009 10:58

Não há nada como ter (ou ser) um professor marcante.
Ela pode ter ido, mas se deixou uma discípula como você, de fato cumpriu a missão!

Muito obrigado pela leitura e pelo apoio!

Beijão

(marta selva) | 4 de março de 2009 11:11

eh gostoso ver como as pessoas marcam as nossas vidas.
da pra sentir a importancia e o impacto q elas fizeram.
qnd acotnece isso
elas chegam
mudam tudo.
e nos fazem pessoas melhores.
cumprem um papel unico..

;*

Claudio Justo | 4 de março de 2009 13:50

Saudades das aulas da Malu Matêncio, uma das maiores linguistas deste país. Que Deus a receba de braços abertos, pois se no início era o verbo, ninguém melhor que ela para defender o início.

sirlene | 15 de março de 2009 17:25

Fui aluna dela na PUC e sentirei saudades...de coração!