sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Crise existencial?


Estou vivendo sem dúvida alguma uma crise existencial. Na verdade não é esse o nome da minha crise, talvez fosse crise profissional. Vou explicar, na época do vestibular eu demorei a assumir para os outros e para mim mesma que eu queria fazer Letras, sai do 3° ano, fiz mais um ano de cursinho e tentando vestibular para direito, jornalismo, mas nunca pra Letras. Até que um dia desencanei e me inscrevi no vestibular para Letras.

No primeiro dia de aula da faculdade, lembro-me como se fosse hoje, eu tive certeza de que aquele era o curso e a profissão da minha vida. Engraçado, isso é tão raro acontecer. As pessoas às vezes trancam a faculdade mais de duas vezes porque não sabem exatamente o que querem, mas comigo era diferente, eu sabia. Nunca pensei em sair do curso, nunca pensei em trancar, parar ou seguir outra carreira, na faculdade eu tinha paixão por estudar Letras. Sofri alguns preconceitos, algumas pessoas me falavam que nunca iria ter uma vida financeiramente boa sendo professora, outras diziam que o curso era fácil de mais (vai fazer antes de falar) e outros simplesmente que fazer Letras era bobagem, porém, eu nunca deixei me abater por esse tipo de comentário. Eu tinha certeza que eu seria a melhor profissional da minha área, a mais dedicada, a mais competente. Pensava assim até eu formar. Após um ano de formada, eu tenho uma frustração enorme no meu peito por ainda não ter conseguido nada na minha área. Tudo bem, eu tenho meu trabalho, e até gosto, mas não tem nada a ver comigo. Eu queria mesmo era dar aulas, trabalhar numa empresa que fosse, mas que fosse na minha área, revisão, sei lá!

A minha paixão por Letras não morreu e eu sou uma apaixonada sem perspectiva de ser correspondida. É apenas um desabafo... Quero muito iniciar uma pós, (ficar sem estudar também me deixa frustrada) mas ainda não tenho condições de pagar e enquanto o tempo não me permite estudar mais ou ser feliz fazendo aquilo que de fato eu sei fazer, vou me sustentando em outros ‘’trampos’’ e sonhando com o dia que serei PROFESSORA. P R O F E S S O R A...

9 Palpites relevantes:

Celo Aglio | 23 de janeiro de 2009 14:07

Pra você ver como essa vida nossa é interessante não.
A gente cria um blogue, escreve, encontra blogues de outras pessoas, lê-lhes e num belo dia deparamo-nos com algúem igual a nõs.
Prazer, meu nome é Marcelo, estudante de Letras.
Dar um conselho é pegar o avesso e jogar pros outros, mas mesmo assim limito-me a aconselhar-te, colega.
Não é frustração profissional. Vivemos num país incopetente, que não preza a educação e a língua-mãe, um país mal-educado. Nosso sonho de professor é mais do que um suspiro de nossa alma, é uma parede de tijolos pesados, OS QUAIS AMAMOS CARREGAR!Você,tão bem quanto eu, sabe que VAI continuar nesse caminho só de piraça ^^

Agora, quem sou eu pra comentar um texto desse? Obrigado pela catarse.

J. Heinkel | 23 de janeiro de 2009 15:49

Olá!
fiz vestibular ano passado, e fiquei com muitas dúvidas entre as poucas possibilidades de Humanas. Acho que escolhemos muito novas o caminho a ser traçado pela nossa vida inteira.
É rápida demais e muito impensada a maioria dessas escolhas. Mas, porém, vejo seu caso. Que maravilha! Se identificou totalmente com o curso. Isso é raro, considere-se privilegiada. Sobre o mercado de trabalho..sim, não é tão simples. Talvez pela sua localizão ou sua "movimentação". Ou talvez seja qustão de tempo apenas.
Desejo sorte.
beeeijoss ;***

Tangerina | 24 de janeiro de 2009 02:15

Minha filha, você jura que quer ser professora?

*aquelas que desanimam AHHAHA to brincando.

É uma profissão linda, realmente, gratificante. :) boa sorte menina!

:***

Tato Barba | 25 de janeiro de 2009 21:26

Talvez, um planejamento adequado poderia resolver o seu problema, não acha?

"(...) Somos quem podemos ser,
Sonhos que podemos ter(...)"

Até!

Mary Justo | 26 de janeiro de 2009 18:37

O importante é não desistir do sonho cunhada. Tenho certeza que ainda vai ser uma professora daquelas!!!!! Beeeeeeeeeeijos

Lívia Brito | 28 de janeiro de 2009 14:24

Quem já não 'sofreu' disso?!
Sofro constantemente desde quando acordo para vir trabalhar.

Lembra que falamos sobre aqueles assuntos de revisão? Não continuou a busca?

Não perca as esperanças.
És nova, tem muita coisa ainda pela frente. E uma pós é um dos primeiros passos para seguir seu caminho.

;)

Madamefala | 28 de janeiro de 2009 19:01

Eu amo letras, tinha muita vontade fazer mas tb desisti por todos aqueles motivos que vc descreveu que falaram pra vc.
Mas saiba que não é a sua área que falta trab. eu sou formada em Direito e tb tô mesmo barco.
Minha paixão é a escrita e não as leis, mas enfim...ossos indigestos da vida.

beijocas e força que um dia vc realiza!

Navarro | 29 de janeiro de 2009 14:16

Sei exatamente o que é esta "crise profissional", rs. Também passo por ela. Fiz História e quando entrei achava que eu jamais devia ter desistido de meu curso de Relações Públicas. Hoje gosto muito de História e estou contente por ter feito esta faculdade. Me sinto mais crítica do que nunca. Também cheguei a cogitar Letras, mas eu nunca me dei muito bem com literatura Brasileira e Portuguesa, embora eu tenha lido bastante. Enfim, tb não trabalho em minha área ainda, mas já dei aula. Foi durante meu estágio, o professor me deixou dar a aula sobre o Império Romano para o 1° colegial. Adorei! Embora adolescentes não sejam fáceis, gostei muito! Vc então, pelo visto, vai amar! ^^

Navarro | 29 de janeiro de 2009 14:19

Favoritei seu blog. Espero que não se importe. ;)